Quando percebi que meu ex-marido havia me enganado para sair de nossa casa com cozinha planejada, fiquei em estado de choque. Ele conseguiu fingir que eu estava nas escrituras de nossa casa por dez anos. Mais tarde, ele admitiu que era sua segurança. Se eu descobrisse o que ele estava tramando em segredo, ele sabia que poderia perder a casa em caso de divórcio.

No dia em que meu advogado de divórcio ligou para dizer: “Você sabe que seu nome não está na escritura de sua casa?” foi um dia que nunca esquecerei. Quando tudo se acalmasse, eu percebi, eu perderia minha cozinha.
Cinco anos antes, havíamos assumido a gigantesca tarefa de refazer a cozinha. Demorou meses. Cozinhei para nossos quatro filhos em um minúsculo fogão de acampamento com dois bicos por semanas no quarto de hóspedes.

Valeu a pena. A cozinha e o closete planejado dos meus sonhos eram uma realidade. As paredes tiveram que cair, vigas de aço reforçadas foram colocadas, a coisa toda desmontada e feita de acordo com o meu plano exato. Eu amei aquela cozinha com paixão. Todos o admiraram. Os olhos das pessoas se arregalaram quando eles entraram e suas bocas se abriram. Era algo belo.

No dia em que tive que sair de casa e me mudar para minha nova casinha, dez minutos ao longo da estrada, parei na cozinha e respirei pela última vez. Eu criei meus filhos lá. Trabalhou até tarde da noite e de manhã cedo. Fed hordas de adolescentes e familiares. Minha mesa e cadeiras, que eu tinha encontrado com amor, estavam sendo deixadas para trás.

Eu não tinha espaço para eles. Ele conseguiu a casa. Ele ganhou. A lei na Escócia não julga o pecado por meios financeiros. Não importa o que ele tenha feito. A dor que ele causou. O fato de sermos casados. Ele conseguiu a casa. Ele não iria embora. Ele não iria vender. Ele ganhou. Seus truques valeram a pena. Fechei a porta e saí.

Enquanto me ajustava à minha nova cozinha minúscula, às vezes me sentava no chão e chorava. Não há espaço para nada. Eu batia meu braço na parede ou minha cabeça nos estúpidos armários. Parecia uma cozinha para bonecas. Mesmo assim, eu ainda tinha que cozinhar para as crianças, o cachorro sentado bem aos meus pés para que eu tropeçasse nele. Quase não há espaço para nós dois na cozinha. Eu sei que fui mimado. Eu sei que minha cozinha era apenas uma cozinha. Mas como eu sinto falta disso.

Recentemente, meu ex-marido trouxe sua namorada novinha em folha para ficar em casa quando as crianças estiverem comigo. A única coisa que me leva ao limite da razão é pensar nela na minha cozinha. A cozinha onde coloquei meu coração e minha alma. Não apenas no design, mas nos anos seguintes. A decoração, os puxadores, a pia, as torneiras, as luzes. Eu escoamento de cada detalhe. Meu estilo, minha personalidade, meu amor.

Percebi que a única coisa que posso fazer é dizer adeus à minha cozinha e deixá-la ir. É a única coisa que me permite fechar e ajudar a aliviar a dor que me aperta e me prende com tanta raiva que acabo quebrando algo para tentar me libertar. Então aqui está….

Para Minha Bela Cozinha,
Eu sinto sua falta. Anseio cozinhar em você uma última vez. Aqueles últimos meses com você foram uma dor de cabeça e sinto que perdi a alegria que você e eu sempre compartilhamos. Desculpa por isso.

Aos cabos de latão lisos e frios que enviei da Suécia, agradeço o serviço prestado. Você foi o acabamento perfeito e se vestiu com elegância para mostrar as centenas de vezes que foi tocado, puxado e empurrado.

Para o meu fogão de gama dupla, como você e eu fizemos as pessoas sorrirem. A magia que criamos. Eu sinto mais a sua falta.

Para a pia dupla de Belfast. Você é a pia que mais trabalha que eu conheço. De pratos a flores e chuteiras fedidas, você foi o melhor. E eu sinto sua falta.

Para minha grande geladeira americana. Não sinto falta dos sons que você fez enquanto enchia e fazia gelo. Eu sinto falta dos gritos das crianças rindo enquanto ensinavam seus amigos a pegar o gelo quando ele fosse cuspido. Uma arte de fato.

À mesa rústica de madeira, escolhi com muito cuidado. Como ele odiava você e suas bordas inclinadas. Cheio até a borda com crianças, comida, conversa e amor por tantos anos. Você deve parecer tão vazio agora. Tantas cadeiras vazias ao seu redor.

Para o meu piso de madeira perfeitamente nodoso. Eu varri você, esfreguei você, chorei em você, persegui um cachorro perto de você. Seu calor e beleza fazem falta em meu coração.

Para minhas bancadas de pedra legais. Como eu amorosamente cuidei e limpei você até que você brilhasse. Meu orgulho e alegria. Mesmo que fosse 2 da manhã e eu precisasse acordar em três horas. Eu iria limpar você até ficar deslumbrado. Sinto falta do seu espaço. Sinto falta das crianças apoiadas em você falando comigo enquanto eu cozinhava. Sinto falta de ensiná-los a picar e bater enquanto bagunce você.

Eu sinto sua falta. Eu odeio a ideia de outra pessoa ser seu mestre. Eu escolhi sua tinta. Eu escolhi os esquis vintage em suas paredes. Minha torradeira kitchenaid que ‘faz pings’. Você era meu. Éramos uma boa equipe. Você já sentiu minha falta?

Não há mais ações de graças. Chega de dançar com minhas garotas pela ilha. Chega de madrugadas fazendo torradas para hordas de adolescentes. Não há mais bolos de aniversário assados.

Meu rádio Bush dos anos 1960 agora fica no parapeito da minha janela, ainda sintonizado no Radio 4 como sempre. Enquanto eu cozinhando em meu avental, o rádio balbuciando ao fundo, eu me pergunto como você está falando agora? Você está cheio de novas músicas ou estações de rádio? Você sente falta de ouvir a previsão de embarque?

Eu tenho que deixar você ir. A dor de perder às vezes é demais. A injustiça. A injustiça. A falta de tudo o que éramos. Nunca terei outro como você, mas sou grato pelo que tivemos. Estou aprendendo a me mover e dançar em meu novo mundo agora. Tenho que deixar você ir para que possa continuar a servir a casa da maneira que faz melhor.

Obrigado por todas as memórias maravilhosas que você me ajudou a dar às meninas, família, amigos. Obrigado pela parceria mais maravilhosa. Eu nunca vou te esquecer, mas estou te libertando agora. Para meu próprio coração e mente.